domingo, 5 de outubro de 2014

Newsmaking - Gatekeeping

Por Verônica Rocha

Newsmaking (fazedores de notícia, em tradução livre) é como é conhecido o estudo ligado à sociologia das profissões, apresentado por Mauro Wolf. Apesar de ter sido estudada genericamente sob a perspectiva comunicacional, é muito mais uma teoria específica do jornalismo. Em todo caso, a hipótese do newsmaking dá ênfase à produção de informações de maneira abrangente, analisando fatores como motivos, consequência e método de publicação das notícias jornalísticas.  Sendo assim, tem o emissor como principal objeto de estudo.

A hipótese aborda o relacionamento entre as fontes primárias e os jornalistas, as diferentes etapas da produção informacional, abrangendo a captação, tratamento e edição, e a distribuição. Para Wolf, a seleção dos fatos que se tornam notícia está vinculada a três fatores principais: a cultura profissional do jornalista, a organização do trabalho e os processos produtivos. Dessa forma, a teoria do newsmaking abre espaço para o estudo sobre gatekeeping, verificado por Kurt Lewin em 1947. 

O estudo de Lewin abrangeu a análise do fluxo informativo de um importante veículo de imprensa norte-americano. Basicamente, Lewin contabilizou as notícias que chegavam ao veículo por meio de telexes, quais eram usadas na edição seguinte do jornal e quais eram ignoradas, avaliando sempre os motivos para tal classificação. Na ocasião, Lewin acabou por concluir que apenas uma em cada dez notas de telex que chegavam a redação viravam de notícia na edição do dia seguinte.

Lewin estabeleceu, dentro deste conceito, que existem normas profissionais que superaram distorções subjetivas da seleção das informações e que concomitantemente tal seleção não acontecia somente na redação do jornal. O autor defende também que a ação do gatekeeper é inconsciente e involuntária e que, por estar voltada ao processo produtivo, diferencia-se da censura. Porém, pondera que por esses mesmo motivos tal ato pode se tornar perigoso e radical.

Um comentário:

Celina Alvetti disse...

é uma teoria do emissor, quer dizer.