segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Newsmaking

Por Anna Caroline Augusto Pires.

A teoria do newsmaking trata das práticas unificadas que são adotadas na rotina de trabalho pelos órgãos de informação, como a divisão de tarefas, a utilização de valores-notícia, a carga horária de trabalho, como o caminho  percorre a notícia desde sua apuração à sua veiculação, a fim de ordenar o tempo e espaço de forma planejada e ordenada.

Segundo Mauro Wolf é uma seleção de fatos, de acordo com a teoria a produção de notícias deve ser planejada como uma rotina industrial. Seus procedimentos próprios e limites organizacionais devem ser levados em consideração. Assim, o jornalista é submetido ao processo de produção, e dessa maneira é possível a manipulação das notícias pelo mesmo é superada pelas imposições do processo produtivo.

No entanto, é comum que aconteça uma “distorção inconsciente”, que está relacionada às próprias limitações da rotina produtiva, como o deadline, a preferência de determinados valores-notícia, o tempo/espaço disponível para determinada matéria, etc.
Essa distorção que ocorre pode ser exemplificada com a hipótese de que uma notícia de última-hora seja inserida no jornal sem que uma apuração ideal tenha sido feita. Seguindo os critérios dos valores notícia, as declarações de uma fonte oficial, por exemplo, terão prioridade a ser noticiado, o que pode distorcer o fato.

O veículo tem um formato planejado, o que torna possível um planejamento prévio de alguns tipos de notícia que o comporão, antes mesmo que elas sejam produzidas. Apesar do processo industrial, o processo de trabalho não é imutável e determinista. A rede de fontes, a capacidade de negociação e o talento para a investigação demonstram que o processo de produção das notícias é interativo. Ele depende das rotinas profissionais, iniciativa dos jornalistas e da demanda da sociedade.

Algumas forças e ações devem ser consideradas como influenciadoras na produção de notícias: Ação pessoal; Ação social; Ação ideológica; Ação cultural; Ação do meio físico e Ação histórica. Além disso, os veículos de informação devem cumprir algumas tarefas:

Reconhecer, entre os fatos, aqueles que podem ser notícia (seleção);
Elaborar formas de relatar os assuntos (abordagem ou angulação);
Organizar, temporal e espacialmente, o trabalho para que os acontecimentos noticiáveis possam ser trabalhados de maneira organizada.
Dentre as práticas apresentadas por essa teoria, destacam-se as seguintes:
Noticiabilidade: Critérios que escolhem, entre inúmeros fatos, uma quantidade limitada de notícias.
Sistematização: rotina de divisão das ações que envolvem a pauta, a reportagem e a edição.
Valores-notícia: senso comum das redações. Qualquer jornalista sabe dizer o que é notícia e o que não é de acordo com o senso comum.

Um comentário:

Celina Alvetti disse...

ok.

alguns ruídos
ex - é o caminho q as notícias percorrem..., creio