segunda-feira, 27 de abril de 2015

A função do gatekeeper, consequências e exemplos nacionais

Há dois trabalhos interessantes que se propõem a analisar a figura do gatekeeper no jornalismo brasileiro atual.
O primeiro deles é um artigo das autoras Daiana Oliveira Silva e Leciele Maria Segantini de Paula, das Faculdades Integradas de Três Lagoas - AEMS. Em seu texto "Gatekeeper, teoria e importância no jornalismo", as estudantes explicitam como a função é exercida e por quê:

As decisões do gatekeeper são tomadas, menos a partir de uma avaliação individual da noticiabilidade do que em relação a um conjunto de valores que incluem critérios, quer profissionais, quer organizativos, tais como a eficiência, a produção de notícias, a rapidez. (ROBINSON (1981, p. 97) apud WOLF (2001, p. 181)) Sobre esta temática sobre o controle social exercido pelas redações Wolf (2001, p. 182) afirma que “a principal fonte de expectativas, orientações e valores profissionais não é o público, mas o grupo de referência constituído pelos colegas ou pelos superiores.”. A escolha do público alvo por meio dos meios de comunicação também é de suma importância para o trabalho do gatekeeper, pois é através dos interesses dele que são criados os critérios do que será ou não divulgado. D´Aiola (2010) defende esta idéia ao dizer que “há também que se despender uma aten- ção especial com o público receptor dessas notícias, esta é seguramente mais uma das preocupações do gatekeeper”. Desta maneira cada meio de comunicação “destorce” ou formata de forma involuntária a informação para que ele consiga chamar a atenção do seu 6 CONEXÃO público alvo. Com isso pode-se definir o gatekeeper segundo D´Aiola (2010) como: aquele que determina o que será notícia e o que não será. O que será divulgado no mainframe dos meios de comunicação e o que não será. Essa idéia, no entanto, pressupõe que o leitor não possa ter acesso à fonte do próprio gatekeeper, que ele apenas conheça a informação do ponto de vista do gatekeeper. (SILVA; PAULA, 2012, pp. 5-6)

Por sua vez, o vídeo de Marina Pereira Ribeiro et. al. demonstra os exemplos brasileiros cuja delimitação de tema e abordagem, elaborada pela função do gatekeeper, influenciou em outros conceitos, como a teoria do agendamento, que estabelece e dita assuntos a serem debatidos pelo público, e a teoria do espiral do silêncio - quando o gatekeeper priva certos assuntos do comentário ou debate em alguma mídia, deixando o fato de lado.




Equipe 4: Gilmar Montargil, Juliana Tauil, Kiong Ariele Hosseini, Lara Fonte-Bôa, Nicole Leite, Viviani Moura.

Um comentário:

Celina Alvetti disse...

ótima contribuição,
de acordo com o proposto e, consequentemente, com a expectativa.

uma teoria e um exemplo em video.