domingo, 31 de maio de 2015

A influência da mídia

A teoria do agendamento junto com o mass media faz com que os meios de comunicação consigam influenciar mais e mais seus leitores. A partir da teoria do agendamento,  onde a mídia é quem determina quais assuntos farão parte das conversas dos consumidores de notícias, as publicações de um jornal podem influenciar uma população inteira e até mesmo conseguir ser capaz de mudar o rumo de uma eleição. Essa influência é maior em alguns veículos de comunicação do que em outros. De acordo com o livro "Teorias da Comunicação" do autor Mauro Wolf (8° Edição, pág. 67), contra o pressuposto implícito, foi avançada a hipótese de uma maior articulação interna do efeito de agenda-setting: a capacidade de influência dos mass media sobre o conhecimento daquilo que é importante e relevante, varia segundo os temas tratados." 
O gatekeeper que é o responsavel por selecionar o conteúdo a ser publicado atraves da teoria do newsmaking, para transformar o fato em algo noticioso, faz com que as noticias consigam ter um poder de manipulação para os leitores. A revista Carta Capital da Editora Confiança no dia 18 de agosto de 2014, antes do inicio das eleições para presidência no Brasil, publicou uma matéria intitulada "As eleições e a mídia" falando que a mídia influencia a população através de propagandas eleitorais deturpadas. Na matéria, Marcos Coimbra cita que empresas de comunicação e pesquisas, estavam tentando de alguma forma acabar com o reinado do governo petista que iria para os seus 16 anos no poder, caso a então presidente Dilma Rousseff fosse reeleita. 
Foto: Google Imagens
Segundo o jornalista "o pior é que a influência dessas empresas ultrapassa o noticiário. Elas contratam as pesquisas eleitorais que desejam e as divulgam quando e como querem. E organizam os debates entre candidatos." A Carta Capital que mantem sua  linha editorial assumidamente alinhada à politica de esquerda, defendeu "seu lado nas eleições" de acordo com a agenda setting, critérios de noticiabilidade e a teoria do newsmaking. Ela selecionou um fato "quente", percebeu que os leitores nesta epoca precisavam de um sentido, para poderem se posicionar a respeito dos candidatos, e publicou a matéria "puxando a sardinha" para o seu lado. 


Link da matéria: http://www.cartacapital.com.br/revista/813/as-eleicoes-e-a-midia-1696.html

Caroline Ribeiro. 

Nenhum comentário: