domingo, 31 de maio de 2015

Agenda Setting - Mauro Wolf

Uma tentativa de direcionar o que será discutido pelo receptor da informação, a hipótese do agendamento é um tema de ampla discussão no jornalismo e ainda de extrema complexidade de compreensão, visto seu caráter de estudo da informação e abordagem de um vasto campo. Para Mauro Wolf, em seu livro Teorias da Comunicação “já não basta observar se existe aquisição de informações e sobre que temas; é necessário também analisar os tipos de informações difundidas e <> de uma agenda para a outra”. (Wolf, p. 156)
O que acontece é que de maneira geral não é possível obter resultados precisos em grupos generalizados, a agenda-setting terá um efeito diferenciado para cada pesquisa feita dentro de um segmento. A abordagem que ocorre na TV não terá a mesma receita se for empregada na mesma linguagem no jornal impresso ou no rádio.
Nesse viés é possível analisar o assunto da semana do dia 24 de maio de 2015, dia em que o avião da família de Angélica e Luciano Huk fez pouso forçado em Campo Grande (MS), toda a mídia nacional estava direcionada a família dos apresentadores da rede Globo, porém o tratamento dado pela TV Globo foi como chama Wolf, tematização, que é a possibilidade da mass media de fazer de um assunto discussão ou não, mesmo que o ele não seja de totalmente de interesse público. “Essa informação permite ou permitiria a passagem para além do acontecimento, para o inserir quer no seu contexto social, econômico e político, quer num quadro interpretativo que o associa a outros acontecimentos e fenômenos.”(Wolf, p.164) Dessa forma a TV tem o poder de dizer ao receptor que aquilo que esta sendo transmitido é importante e ele precisa continuar acompanhando, “é possível pensar-se num efeito de agenda-setting a propósito de qualquer série de assuntos, contanto que seja extensivamente coberta pelos mass media.” (Wolf, p.164)
Grasieli V. Farias

reportagem: Jornal Nacional

Nenhum comentário: