quarta-feira, 27 de maio de 2015

O agenda-setting segundo Wolf


Mauro Wolf, em seu livro Teorias da Comunicação, trata de diversas teorias e hipóteses referentes a estudos sobre difusão de informação e as formas como os veículos as transmitem para seu público.

Um dos assuntos tratados pelo autor é a hipótese do agenda-setting, que afirma que o público dá maior ou menor atenção de acordo com a importância ou abordagem que eles ganham na grande mídia. Ele acredita que essa hipótese é mais complexa do que parecia ser, e, portanto, " já não basta observar se existe aquisição de informações e sobre que temas; é necessário também analisar os tipos de informações difundidas e «passadas» de uma agenda para a outra” (WOLF, 2009). O texto também esclarece que o efeito da agenda varia de pessoa para pessoa.

Além disso, um dos aspectos mais importantes nessa hipótese são as diferentes formas que os mass media possuem para influenciar de forma cognitiva o público. Na matéria publicada pela Folha de S. Paulo, em 26/10/2014, pode-se perceber o uso da hipótese do agenda-setting, na forma como o veículo tratou a reeleição de Dilma Roussef. Eles reforçaram o fato de que por pouco ela não continuou no poder, além de falar que o PT continua no governo apesar de todas as dificuldades financeiras e falta de credibilidade. Como se sabe que esse veículo nunca demonstrou grande apoio à presidente, pode-se perceber que a maneira como ele aborda a informação pode levar o leitor a interpretar esse fato pela ótica do jornal.


Leia a matéria na íntegra: www1.folha.uol.com.br/poder/2014/10/1537894-dilma-e-reeleita-presidente-do-brasil.shtml

A presidente Dilma Roussef, reeleita em 2014 com 51,64% dos votos válidos


Por Paola Magni, 3º período manhã

Nenhum comentário: