domingo, 31 de maio de 2015

Teoria do Agendamento e a espiral do silêncio

O livro ‘Teorias da Comunicação” de Mauro Wolf (2009) tematiza a agenda setting como a principal forma que a mass mídia encontra de prender a atenção do público ao colocar em pauta algum assunto. O autor afirma que a teoria do agendamento tem sua eficácia usada em cobertura de determinadas situações, como uma campanha eleitoral ou em grandes temas, como drogas, poluição, terrorismo e violência.
Neste caso, Wolf afirma que as atualizações de um assunto e o número de vezes que o mesmo é citado, são mais importantes que a reflexão teórica sobre o tema. Uma forma eficaz de colocar o público a par do assunto e também, prendê-lo, é a memorização. Wolf afirma que “A memorização concentra-se mais na informação já adquirida do que na nova. A familiaridade com o assunto aumenta a facilidade de o memorizar. Entre a nova informação, a que, cronologicamente, é mais recente (...) parece ser mais privilegiada do que a que amplia os conhecimentos”. (p 73, 2009)

Partindo deste pressuposto, é possível analisar o caso do pai que roubou 7 quilos de carne para alimentar o filho. O caso foi disseminado em diversos jornais e teve uma reconstrução no Fantástico. A mídia usou da memorização para colocar o caso em primeiro, pois causava comoção. O homem chegou a ganhar um emprego pelo apelo da mídia. Em sua última atualização, ele na verdade era um revendedor de carnes na comunidade onde mora e o assunto caiu na espiral do silêncio, teoria de Noelle-Neuman.

Referências: http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,policiais-pagam-fianca-de-homem-que-roubou-carne-para-dar-ao-filho,1687728
http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2015/05/ladrao-que-comoveu-policiais-ja-tinha-3-passagens-por-furtar-carne-triste.html

Lucas Aron Nogas - 3º Período Noturno

Nenhum comentário: