segunda-feira, 1 de junho de 2015

Mauro Wolf e a ideia do agendamento

Mauro Wolf, em seu livro Teorias da Comunicação, analisa as principais teorias que explicam como os diálogos são feitos. Entre as diversas pesquisas, destaca-se a hipótese do agenda-setting, teoria de que a mídia determina o que será pautado.

Para Wolf, esse estudo é desenvolvido a partir do interesse em entender como as pessoas organizam e estruturam a comunicação e o cotidiano. O autor da obra entende que a ideia e avaliação das agendas, pensando na frequência em que os mais variados temas (drogas, religião, esporte, cotidiano) são mencionados, são fontes muito importantes para entender como as pessoas que recebem informação tratam como prioridade.

Quanto aos noticiários, o teórico diz que pode-se refletir o recebimento de informações de duas maneiras: "A memorização concentra-se mais na informação já adquirida do que na nova. A familiaridade com o assunto aumenta a facilidade de o memorizar; Entre a nova informação, a que, cronologicamente, é mais recente [...] parece ser mais privilegiada do que a que amplia os conhecimentos. (Wolf, 2009, 167).


A matéria publicada em 31/05/2015, no jornal Gazeta do Povo, trata da atual crise econômica e política no Brasil. Citando algumas promessas de campanha da presidente Dilma, a reportagem trata de um assunto que interessa a todos. Ao relacionar diferentes áreas do cotidiano, como educação e moradia, ouvir especialistas e mostrar como está a situação dos programas, a matéria incentiva um debate sobre a gestão do Governo, pois afeta a população de um modo geral. 

Por Leonardo Henrique, 3º período manhã

Nenhum comentário: