quinta-feira, 20 de outubro de 2016

O Gatekeeper do dia-a-dia

Leticia Garib

Que a verdade seja dita: todos exercemos a função de gatekeeper diariamente. Cada vez que selecionamos apenas as informações que nos favorecem para relatar um acontecimento. Essa atitude vem com o ser humano desde a infância, quando a criança prefere esconder o giz de cera que usou para pintar a parede e então coloca a culpa no irmão ou até no cachorro. O que essa criança fez foi admitir que o fato aconteceu, porém, omitindo o que a condenaria.

Tudo bem, pode parecer um pouco chocante o medo de uma ingênua criança ser comparada a um adulto maduro e consciente de seus atos. Darei, então, outro exemplo. Quando, em uma discussão dois adultos brigam a respeito de qualquer mal entendido que tenha acontecido, os dois costumam falar sempre o que realmente aconteceu? Eles relatam todos os fatos? Ou eles utilizam as informações disponíveis para ganhar a discussão?

O que diferencia o gatekeeper do que fazemos em nossa vida pessoal, é que ele é um profissional pago para defender os interesses e linha editorial de um jornal. E se nós, costumeiramente utilizamos desta artimanha para nos favorecer, por quê os jornais não devem fazer o mesmo?

O que nos falta é aprender a jogar com as cartas que temos nas mãos. Precisamos sim lutar e reivindicar melhorias, mas até lá, reclamações, protestos e textões em redes sociais farão alguma diferença? É claro que não!

Se essa é a regra do jogo então joguemos como se deve. Se os jornais precisam noticiar apenas o que lhes interessa para suprir seus interesses, então é claro para mim que apenas uma fonte de informações não pode ser utilizada quando queremos nos informar realmente. E isto é muito claro quando comparamos apenas as manchetes das mesmas notícias em jornais diferentes.



Cada jornal precisa defender seus próprios interesses, cabe a nós aprender a nos informar com qualidade em meio a tudo isto. Eu sei que o tempo é curto e há muitas coisas a fazer, mas não acredito que ficar de birra com os jornais só porque eles não falam sobre ou como você gostaria seja uma solução para o problema.

Nenhum comentário: